O Plano Minha Casa, Minha Vida é o grande motor do mercado imobiliário dos últimos anos. Considerando os lançamentos entre 2008 e agosto de 2017, o programa do Governo foi responsável por 77,8% dos lançamentos.

Mas não são todas as pessoas que podem comprar imóveis através desta linha de financiamento. Atualmente, apenas famílias com salários até R$ 9 mil reais participam. Porém, as condições da compra variam de acordo com a faixa de renda familiar, reduzindo as vantagens, conforme se aumenta o salário.

Há 4 faixas atualmente no MCMV: a faixa 1 (até R$ 1.800), a faixa 1,5 (até R$ 2.600), a faixa 1 (até R$ 4.000), a faixa 1 (até R$ 9.000). As famílias das faixas 1 e 1,5 devem realizar o cadastro diretamente nas prefeituras municipais, que fazem o controle do programa. Já nas faixas 2 e 3, o pretenso comprador deve ir até uma imobiliária, incorporadora ou intermediador bancário para verificar se pode conseguir o financiamento. Principalmente nas faixas 2 e 3, o comprador está sujeito a uma análise similar a de outros financiamentos bancários, considerando fatores como negativação e score. A renda também deve ser comprovada, por holerites, extratos bancários e/ou declaração de Imposto de Renda.

Cada faixa possui vantagens financeiras diferentes. Na faixa 1, não há taxa de juros, os subsídios podem ser de até 90% do valor do imóvel, com os valores das parcelas não excedendo R$ 270. (BLOG MINHA CASA, MINHA VIDA, 2017)

Na faixa 1,5 os juros são de 5% e o subsídio pode chegar a R$ 47.500.

Na faixa 2, os juros variam de 5,5% a 7% e o subsídio alcança R$ 29.000.

Por fim, na faixa 3, os juros ainda são menores que o financiamento tradicional, mas podem chegar a 9,16%, sem subsídio.
Para o indaiatubano entender melhor, as faixas 1 e 1,5 são as que foram comercializadas no Campo Bonito, que contou com o cadastro e seleção da prefeitura. No bairro, os apartamentos foram comercializados na Faixa 1, com pequenas parcelas, sem juros e grande subsídio, e as casas na Faixa 1,5, com algum subsídio, mas com juros.

Já o empreendimento Villa Helvetia, conjunto de edifícios, está sendo comercializado através da Faixa 3, com as famílias tendo que comprovar renda agregada de mais de R$ 4 mil, sem negativação e com bom score. É o caso também de casas novas, através do financiamento de terreno e construção juntos. Nestas aquisições, os compradores não possuem subsídios, mas contam com uma entrada e juros menores, se comparado aos financiamentos tradicionais.


REFERÊNCIAS